Um pouco do papai…

Como já disse aqui antes, eu e o papai  somos acima de tudo ótimos amigos. Mesmo com o término do namoro continuávamos em contato e nos encontrando eventualmente. Não existe nada grandioso na nossa história. Mas não faltam momentos especiais. Como por exemplo, quando saímos pela primeira vez, fomos ao Museu de Artes Modernas ver o pôr do sol. A chuva estava fortíssima e não teve sol. Mas a gente ficou lá, em baixo de um enorme temporal, protegidos por um guarda chuva, namorando ao som do Jazz.

Seu pai filhote consegue ser presente mesmo quando não está perto da gente. Ele  me pede desculpas por julgar  dar pouca atenção à mamãe (quando estou longe), especialmente nessa fase, mas não é verdade, nos momentos que estamos juntos ou quando nos falamos ele sempre está inteiramente presente e sua presença permanece até o próximo encontro ou conversa.
Seu pai tem uma visão de vida especial e única filhote. A mamãe demorou a entender algumas coisas, e ainda tem muitas outras para entender. Mas você vai ver, ele tem um olhar doce, um sorriso verdadeiro e uma segurança que poucos homens têm. Mamãe nunca viu o papai bravo, no máximo pensativo. Nós dois juntos conseguimos passar horas conversando sem tédio, acho que o assunto nunca morre entre a gente, mesmo que eventualmente discordamos de algo, mas isso é raro.

É natural amar seu pai, não é algo que se faça por um motivo especial por uma característica,  acontece naturalmente. As pessoas gostam dele. Ficam felizes ao saber que você é filho dele. E ele me ensinou uma nova forma de amor. Na verdade não é nova, é o amor de verdade. Não é aquele amor cheio de acontecimentos grandiosos que são contados nos livros e cantados nas musicas. Não é o amor cheio de apego e ciúmes. Não é o amor de superfície, baseado nas coisas que o outro pode oferecer. O papai sabe amar diferente, amar as coisas verdadeiras as coisas que permanecem depois que o tempo passa. Sim, porque tantas coisas acabam depois que o tempo passa, e isso mexe com sentimentos das pessoas que se apegaram a essas coisas passageiras.

O amor do papai é o amor que vem de dentro para fora e envolve todas as coisas. E quando se ama assim, a forma  pouco importa. O papai sempre fala que tudo é bom e tudo está no seu exato lugar. Nada está errado. Viver no mundo em que vivemos com essa visão filhote, é privilégio de poucos. A mamãe está aprendendo a amar como o papai. E esse sentimento novo que eu estou aprendendo é bom porque é tranquilo. Não me deixa ansiosa, não me preocupo.

Eu e o papai decidimos ficar juntos. Essa decisão partiu inicialmente pela notícia da sua chegada. Mas não é o único motivo. Se fosse assim não seria bom, principalmente para você filhote. A mamãe acredita realmente que podemos ser ainda mais felizes juntos!

Ontem o papai falou assim: “Você não imagina o quanto vamos aprender com essa criança!” Sabemos a grande importância que tem sua chegada filhote. Por isso, foi muito importante o papai e a mamãe ter vivido nossa história da forma como vivemos. Amadurecendo e aprendendo coisas novas até chegarmos aqui. As decisões que tomamos hoje são com base nesse amor incondicional que sentimos e que aprendemos a sentir com o tempo. É assim que já te amamos filhote, e que vamos ensinar  você a amar o mundo!

Estamos muito felizes com sua chegada!!!

Esta entrada foi publicada em Histórias para a sementinha. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *