Alarme falso – o retorno!

Não dormi direito. Não por conta de dores, mas por ter dormido ontem o dia todo! Relógio biológico meio atordoado com esse ritmo de vida. A noite toda passei lendo blogs, escrevendo e conversando com o papai. Lá pelas 4h da manhã senti cólicas mais fortes e resolvemos ir dormir. Porém só foi possível dormir 6h da manhã quando a cólica estava mais fraca. Acordei 10h com uma contração dolorida e levantei para ir ao banheiro. Minha mãe já estava tensa, querendo que eu fosse ao médico para ver se estava tudo bem. Falei com papai e resolvemos marcar durante um tempo as contrações para ver se tinha alguma regularidade. A barriga endurecia de 5 em 5 minutos e a cólica aumentava no momento que a contração vinha.

Como moramos longe do Centro de Parto Normal, resolvemos não esperar ter três contrações a cada 10min como recomendou Dra. Marilena. Chegando lá eu estava com cólicas intensas e fomos muito bem recebidos. A médica que me atendeu foi muito simpática (não lembro o nome dela agora, mas depois eu corrijo esse lapso), analisou meus exames e me examinou. Ouviu seu coração, mediu a barriga e disse que era para ficar deitada 10min para ela ver o ritmo das contrações.

Você não tinha mexido quase nada até o momento. Mas acordou super agitada, mexeu muito e a médica ficou admirada com a festa que você estava fazendo. Enquanto isso…nenhuma contração! Apenas continuava sentindo as mesmas cólicas de sempre. Então ela me explicou que aquelas ainda não eram as contrações de parto. Essas contrações são as contrações de Braxton Hicks. Contrações de Braxton Hiks podem ocorrer desde o quinto mês de gravidez e vão aumentando a frequência com a proximidade do parto. Esta é uma forma do corpo ir “treinando” o parto e são importantes, pois acredita-se que elas contribuem para o processo de apagamento do colo do útero aumentando a dilatação.

A médica explicou também que as contrações de parto são mais dolorosas e com um ritmo bem marcado. Sempre o mesmo espaço de tempo entre uma e outra e com o passar do tempo esse intervalo vai diminuindo e as dores aumentando. Lembrou também que o primeiro parto esse processo é sempre mais demorado e realmente deixam as mamães e papais de primeira viagem muito ansiosos, além dos avós, tios, amigos e todos que estão acompanhando essa nossa aventura!

Eu já tinha lido sobre tudo isso, mas na hora da ansiedade, quando a gente tem que lidar com nossa insegurança e a das pessoas que estão também na expectativa, fica difícil distinguir as coisas. Tudo que você leu perde importância porque você nunca passou por isso e apesar de existir um padrão para certas coisas, nem tudo é igual para todo mundo. Mesmo muito informada, pois nada do que a médica tenha dito era de total desconhecimento da minha parte, eu não sei dizer se essa dor no quadril, no pé da barriga e às vezes na barriga toda, não é sinal de que já está na hora de correr para o Centro.

Talvez por isso eu fique tão relaxada depois de ir conversar com algum profissional, porque quando eu ligo para Dra. Marilena cheia de dúvida, ela até pode me dar uma resposta que eu já conhecia, mas o fato dela confirmar  me dá uma segurança enorme.

Enfim, ela me deu várias explicações e me tranquilizou. Fez o exame de toque e isso causou um pouco de sangramento. Outro motivo de preocupação, pois sei que o sangramento pequeno depois do exame de toque é normal, isso porque o colo do útero está sensível e pode sangrar com o toque, mas não imaginava que iria continuar gotejando sangue o dia todo. E mais uma vez eu perturbei o juízo da Dra. Marilena em pleno domingo. Ela explicou que o sangramento só tem importância se for muito e se for sangue “vivo”, não aquele sangue marronzinho tipo borra que é o caso no momento.

Depois que voltamos do hospital, almoçamos e o sono bateu com força. Mas resolvemos não dormir à tarde para poder dormir no horário normal à noite. E para aguentar fomos dar uma volta e comprar um sorvete para refrescar, pois o dia hoje está quente.

A médica disse que temos essa semana toda para esperar já que você está ótima! Então a mamãe espera, espera o tempo que for necessário para que você venha ao mundo da melhor forma e no seu tempo.

Até mais,  Bundinha de Ouro (apelido carinhoso do papai!) hehehehe

Esta entrada foi publicada em Histórias para a sementinha. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Uma resposta a Alarme falso – o retorno!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *