Preparativos – Parte 2

Além de pensar nas roupinhas, fraldas entre outras coisas importantes eu e o papai estamos planejando a parte mais importante, seu nascimento.

Quando se fala disso as pessoas já sabem exatamente como vai ser: a mãe começa a sentir dores, o pai a leva ao hospital e os médicos fazem o parto.

A mamãe pensava assim também. Mas comecei a ler muito e pensar como eu gostaria que fosse sua chegada a esse mundo. Pensei se seria melhor para você que no momento da sua chegada a esse mundo a primeira pessoa que você iria ver seria alguém desconhecido, que está ali apenas fazendo mais um trabalho. Ou seria melhor que a sua chegada fosse cercada de pessoas que te amam e passaram todos esses meses esperando ansiosamente sua chegada.

Seria melhor um ambiente cheio de luzes, ar condicionado, paredes brancas e cheio de energias de pessoas sofrendo ou o aconchego do ninho preparado com tanto amor para sua chegada?

Hummmm…acho que não é difícil escolher não é?! Mamãe escolheu dar para você, nos seus primeiros minutos de vida nesse novo mundo, muito amor!

Por isso, estamos preparando a sua chegada na nossa casa. Muita gente ainda não entende isso. Mas não é por mal, as pessoas acreditam que no hospital eu e você estaremos mais seguros. Mas a mamãe vai convencer todo mundo. Já encontramos a médica perfeita para isso. E agora a mamãe vai fazer uma série de exames para saber se está tudo bem com a gente. O fato de o parto ser em casa não quer dizer que vai ser menos seguro. Vamos nos cercar de toda segurança necessária para seu nascimento, mas também de todo amor necessário para isso.

No final, tenho certeza, que depois de acompanhar o momento mais emocionante do mundo, a vovó vai achar que essa foi a melhor coisa que aconteceu.

A mamãe e o papai se emocionam só de imaginar esse momento. Vai ser o momento mais lindo de nossas vidas. A primeira pessoa que vai pegar você será o papai, o primeiro toque … o toque mais cheio de amor que poderia existir!

Estamos te esperando filhote!

 

Esta entrada foi publicada em Histórias para a sementinha. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *