Terrible Two – Intensos Dois Anos

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Momento de brincadeira com amigos onde ela estava introspectiva.

Para quem não sabe, Terrible Two é termo em inglês que designa uma fase de desenvolvimento infantil que ocorre por volta dos dois anos. Eu particularmente achava o termo pejorativo demais. Porém, hoje sou capaz de entender um pouco a escolha, embora acredite que poderíamos usar um termo mais positivo para essa fase fantástica do desenvolvimento infantil.

Crianças entre 18 meses e 3 anos podem sofrer fortes variações de humor e demonstrarem confusão em relação aos seus desejos. Nessa fase a criança pode apresentar alta irritabilidade e ter muitas crises (“birras”).

Isso acontece por que estão passando por mudanças nas habilidades motoras, mudanças intelectuais (incluindo, segundo alguns estudos, poda neuronal), mudanças sociais e emocionais. Estão vivendo um grande conflito entre ser altamente dependente dos adultos e terem vontades próprias que são incapazes de manifestar de forma clara e compreensível. Embora estejam aumentando seu vocabulário e tendo grandes evoluções motoras ainda não conseguem, por conta própria realizar as atividades que desejam e isso causa grande ansiedade e frustração.

Em posse dessas e de outras informações eu aguardei a chegada dessa fase. Juro que imaginei que tiraria de letra, ainda mais sabendo que era um momento especial para ela e que tudo iria passar, mas…

A tão esperada fase chegou por volta dos 19 meses, com os frequentes nãos e algumas birrinhas leves, nada demais!

Não lembro quando aconteceu a primeira grande crise, elas começaram a acontecer gradativamente. Um dia ela se jogou no chão do mercado, não pensei muito e ao invés de pedir para ela levantar gritei: Olha quem está passando lá na rua!! Ela levantou como se nada tivesse acontecido e tudo voltou ao normal.

Muitos outros momentos foram surgindo, até então não estava nem achando tão tenso, estava tendo lucidez para colocar em prática boa parte das coisas que eu aprendi lendo.

Porém, à medida que os dois anos se aproximavam a coisa parecia piorar. Ela odiava escovar os dentes, mas tinha dia que odiava do fundo da alma a ponto de passar horas chorando descontroladamente por que tentei escovar. Ela não podia ouvir não. Ela mudava de ideia em questão de segundos. Ela se jogava no chão por qualquer motivo. Ela ficava transtornada por coisas teoricamente simples e que não a irritavam antes.

Essas situações passaram a ser muito aflitivas para nós, era nítido que ela não estava bem. Era claro que ela sofria muito mais que nós com a inquietação que sentia.

Eu fiquei nervosa muitas vezes, pedi para ela parar muitas vezes, mas em vão.  Nesses momentos tivemos um anjo, o papai. Ele também estava estudando muito sobre o assunto e puxava minha orelha toda vez que eu esquecia o que tinha lido. Ele me fazia lembrar que eu era a adulta da situação e a única com capacidade neurológica de me controlar e entender aquele momento, por mais cansada que eu estivesse.  Ele foi fundamental.

E o tempo foi passando e a coisa parecia piorar. Os três meses antes do aniversário foram muito tensos. Muitas crises. E se era hora de comer ou dormir então ai é que a coisa desandava. O aniversário foi se aproximando e tinha dias de choro diário. Eu quase sem conseguir dar conta do básico da casa. Ela querendo colo, não querendo colo, querendo tomar banho e de repente fazendo escândalo nesse banho. Pentear o cabelo nem pensar, assume o Black Power mesmo e sejamos felizes!

Parece drama de novela mexicana, eu lia que isso poderia durar até os 3 anos e ela nem tinha completado dois! Aos poucos fui identificando algumas situações de risco e aprendendo a contornar as crises. Apesar de cansada também me encantei com  os aprendizados da fase, com a quantidade de palavras novas que ela aprendia por dia, com o notável desenvolvimento motor e com a capacidade dela de se expressar cada vez mais apurada nesse período.  Poderia ser desesperador em alguns momentos, mas era também compensador ver que ela estava se desenvolvendo bem e saudável.

Na semana do aniversário ela ficou doente. Febre durante três dias sem parar e nenhum outro sintoma. No final desse período manchas vermelhas no corpo. Constatamos que era Roséola. O dia do aniversário estava ainda se recuperando e fizemos uma rápida e pequena comemoração em casa.

E como um passe de mágica, como se alguém tivesse vindo tirar com as mãos toda aquela confusão existente naquele pequeno ser , ela mudou!  E que mudança. Um belo dia, logo após o aniversário, ela acorda feliz e falando pelos cotovelos, numa velocidade que nunca tínhamos observado antes. Frases completas. Sorria o tempo todo, sem crises e incrivelmente feliz!

Assim ela permanece, salvo momentos de tédio,  constantemente alegre. Não quer dizer que tudo acabou, que o tal terrible twos tenha chegado ao fim e que será assim com todo mundo, cada criança é um caso, algumas passam por isso sem que os pais notem grandes mudanças de comportamento.

Viajamos nas festas de final de ano para a casa dos avós, foi só alegria. Ela reconheceu todos os lugares que chegamos, foi  receptiva com todos que encontrava. Suportou, em alguns momentos, a fome enquanto procurávamos um restaurante dizendo apenas que estava com fome. Iniciou o desfralde, fala mais a cada dia e é a criatura mais curiosa do planeta perguntando tudo sobre tudo o que vê. Deixa escovar os dentes sem chorar, deixa pentear os cabelos e escolhe quantas xuxinhas mamãe vai colocar, adora tomar banho sozinha, está aprendendo a se vestir  e ama ajudar em todas as tarefas.

A lição que fica de tudo isso é: entenda seu filho. Você não precisa provar que comanda a situação, seu filho não está te desafiando, não é uma disputa para saber quem é mais forte. Você é o adulto e ele é uma criança aprendendo como lidar com esse mundo tão confuso. Você pode até se sentir cansado e desanimar em alguns momentos, mas lembre-se de que para eles passar por isso tudo e não ter os braços de quem mais ama para dar apoio e amor é o mesmo de se sentirem abandonados no momento que mais precisam.

Eu mudaria o termo para Intensos Dois Anos, pois é uma fase cheia não só de crises terríveis, mas de aprendizados intensos e fantásticos para pais e filhos!

Esta entrada foi publicada em Histórias para a sementinha. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

4 respostas a Terrible Two – Intensos Dois Anos

  1. Ana Carolina Daltro disse:

    Lindo texto, e eu sempre aprendendo com vc. Continue essa mãe incrível que vc é. Beijoss saudades.

  2. Cilene disse:

    Adorei o texto. Muito informativo.

  3. Isis disse:

    Muito legal! Nossa hora chegou faz uns 3 meses!!! Muita paciência e amor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *